segunda-feira, 29 de março de 2010

Da solidão

Começar o dia assim: desenhando passos circulares na lama da azinhaga.
cães, cheiro a estrume, a solidão paga-se logo de manhã cedo, como uma chuva que nos fustiga…estou desatento ao que se passa comigo. não consigo avançar uma linha, dormito mais do que escrevo.
tenho a alma triste.
Ao certo, que quererá isto dizer?


Al Berto (O Medo)