quarta-feira, 28 de março de 2012

É só um olhar


Não, não é ainda a inquieta luz de março à proa de um sorriso , nem a gloriosa ascensão do trigo, a seda de uma andorinha roçando o ombro nu, o pequeno e solitário rio adormecido na garganta; não, nem o cheiro acidulado e bom do corpo, depois do amor, pelas ruas a caminho do mar, ou o despenhado silêncio da pequena praça, como um barco, o sorriso à proa; não, é só um olhar.



Eugénio de Andrade