segunda-feira, 7 de maio de 2012

Poemas perfeitos em noites escuras


agora não. talvez daqui a uma hora, amanhã, depois de amanhã, mais tarde, mas agora não. agora aguenta-te, finge que és forte, sorri ou, pelo menos, puxa os cantos da boca para cima: se mantiveres os olhos secos vão pensar que é um sorriso...


António Lobo Antunes