quinta-feira, 14 de abril de 2016





Hoje todas as sílabas da noite são o teu nome. Todas as lâmpadas
 acesas revelam o teu corpo. Todos os silêncios são um telefone que
 não toca. E a boca nos teus cabelos, e a mão delineando o rosto --- a
 língua que acende a pálpebra, a água da pele diluindo as horas. O 
calor da respiração ateando o lume da ausência. As ruas vazias. 







 Al Berto