quinta-feira, 14 de junho de 2018

a ausência é uma forma do inverno




assim dói uma noite, 
 com esse mesmo inverno de quando tu me faltas, 
com essa mesma neve que me deixou em branco,
 pois de tudo me esqueço 
 se tenho de aprender a recordar-te









Luis Garcia Montero

terça-feira, 12 de junho de 2018

acender a chama recomeçar a luz




Sabes como me fizeste noite? 
e como me obrigas a reaprender devagar
 o comprimento dos dias ? 






Ana Paula Inácio

segunda-feira, 11 de junho de 2018

ao teu amor não lhe perdoes nada




Solitário e furtivo, o homem do ramo
 anda por locais nocturnos à procura de casais. 
Encontrei-o nas ruas ao pé da Rambla
com umas rosas sem cheiro a rosas
 numa noite que não tem cheiro a noite. 
E perdi-me pelas traseiras da vida. 
Uma mulher na sombra que não és tu 
roubou-te os olhos e chora. A cidade
 é uma exacta e monstruosa cópia.
 Como se o Cúpido já estivesse velho,
 passa cuspindo o vendedor de rosas.
 Enquanto se afasta penso: ao teu amor
 não lhe perdoes nada. Nem o seu final. 






Joan Margarit
 (Foto de Anna O)

sábado, 9 de junho de 2018