domingo, 19 de agosto de 2018

a idade é isto



Esse que em mim envelhece
 assomou ao espelho
 a tentar mostrar que sou eu. 
 Os outros de mim, 
fingindo desconhecer a imagem, 
deixaram-me a sós, perplexo, 
com meu súbito reflexo. 

 A idade é isto: o peso da luz 
com que nos vemos. 







 Mia Couto

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

braille



Houve uma criança em mim que amava o teu corpo
 e nele se escondia para estar só e ausente.
 E sabia então que a tua luz crua e firme
 calava a ira e ofuscava a discórdia 
que viviam outrora no interior dos quartos. 
Hoje, assim contigo, face a face, fecho as pálpebras 
e apenas com o tacto te sinto e reconheço.







 Fiama Hasse Pais Brandão

domingo, 12 de agosto de 2018

sábado, 11 de agosto de 2018

sábado à tarde



Terraços inúteis, varandas das traseiras, arrecadações, escadas de caracol, marquises desbotadas, antigas estufas, barracas, vasos partidos, paredes abertas, telhas, ferro-velho, andares vazios, degraus sem uso, o fosso do elevador, fechaduras de portões, gatos, cadeiras, um sol sem préstimo, ervas daninhas, um triciclo, humidade, silêncio, azulejos, sábado à tarde e o meu corpo. 







 Pedro Mexia

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

livros de poesia



Não tardará a chegar ao fim
 este agosto que te viu passar 
 com a luz a teus pés. 
 Somos eternos, dizias.
 Eu pensava antes na danação da alma
 ao faltar-lhe o alimento que lhe trazias.
 Agora a cidade
 vive do peso incomensuravelmente morto
 dos dias sem a tua presença. 
 Deixo a mão correr sobre o papel 
 tentanto captar o eco de uma palavra, um sinal, 
 e quem em qualquer parte cintila,
 e confia ao vento o segredo da nossa tão precária eternidade.






 Eugénio de Andrade