quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

De novo

Traz
de novo, meu amor,
a transparência da água
dá ocupação à minha ternura vadia
mergulha os teus dedos
no feitiço do meu peito
e espanta na gruta funda de mim
os animais que atormentam o meu sono
Mia Couto

Sem comentários:

Enviar um comentário