terça-feira, 6 de abril de 2010

Espelhos


Os dedos com que me tocou
persistem sob a pele, onde a memória os move.
Tacteiam, impolutos. Tantas vezes
o suor os traz consigo da memória,
que não tenho na pele poro através
do qual eles não procurem sair quando transpiro.
A pele é o espelho da memória.

Luís Miguel Nava

6 comentários:

  1. lindo isto: a pele é o espelho da memória.
    você e seus achados, magnólia.

    ResponderEliminar
  2. A pele arde e nunca esquece.

    Beijo, Magnólia!

    ResponderEliminar
  3. luis miguel nava, muito boa escolha!

    ResponderEliminar
  4. luis miguel nava, muito boa escolha!

    ResponderEliminar
  5. Lindo! Tátil, sensibilíssimo!

    Beijoca, Magnólia

    ResponderEliminar