terça-feira, 18 de maio de 2010

Habitar-te


Não ter morada
Habitar
Como um beijo
Entre os lábios
Fingir-se ausente
E suspirar(o meu corpo
não se reconhece na espera)
percorrer com um só gesto
o teu corpoe beber
toda a ternurapara refazer
o rosto
em que desapareces
o abraçoem que desobedeces




Mia Couto