segunda-feira, 28 de março de 2011

Ao longe

Quando ao longe a tua voz me acena, e a fúria do dia que nos pesa se faz manhã clara, Reinvento todas as rimas da primavera.

Renata Correia Botelho

Sem comentários:

Enviar um comentário