quinta-feira, 3 de agosto de 2017




Concentro os olhos no mais precário
 lugar do teu corpo: morre-se 
 em Agosto com as aves: 
 de solidão. 

 Neste instante sou imortal: 
 tenho os teus braços em redor
 do corpo todo: 
 as areias escaldam: é meio-dia. 

 Do teu peito avista-se o mar
 caindo a prumo:
 morre-se em Agosto na tua boca: 
 com as aves







 Eugénio de Andrade

1 comentário:

  1. Estamos no mês dos desafio das vitórias. Eu acredito e creio! AbraçO

    ResponderEliminar