terça-feira, 2 de agosto de 2016




Olha-se para aquele corpo e não parece
 que esteja preso por arames. 
O corpo fará análises e exames. Valores normais, nada 
de especial, não há razão para alarme. Mas, se 
se olhar bem, ver-se-ão os arames 
que o prendem. A quê? Prendem-no 
ao amor, porra, ao amor, é preciso gritar? 






 Helder Moura Pereira
 (Foto de Natalia Drepina)